Site Docente
ELIANI DE FATIMA COVEM QUEIROZ
CURSO DE JORNALISMO

 

 


Publicações

Os entraves da mobilidade urbana em Goiânia: o não lugar do cidadão

::link::
Aborda-se neste texto a questão da mobilidade urbana em Goiânia, partindo da reflexão que envolve os conflitos sociais nas metrópoles brasileiras, como o que impede as pessoas mais pobres de ter acesso aos serviços públicos essenciais, de desenvolver suas capacidades e exercer seus direitos quando não conseguem andar pela cidade. Procura-se, ainda, repensar as políticas urbanas a partir da criação do Estatuto das Cidades e a consolidação dos Planos Diretores, centralizadores das definições sobre a gestão urbana em diversas áreas, como a dos deslocamentos, regida pela Política Nacional de Mobilidade Urbana. Políticas públicas são criadas pelo governo federal, com destinação de recursos aos estados e municípios, embora muitas obras urgentes e necessárias ainda não sejam executadas nas maiorias das cidades brasileiras.

Ciberativismo: a nova ferramenta dos movimentos sociais

::link::
Um novo elemento marca as ações dos movimentos sociais na contemporaneidade: o uso da Internet e das redes sociais para a convocação de ativistas, divulgação de manifestações e acompanhamento em tempo real do que acontece nas ruas. Essa nova estratégia de ação é denominada de ciberativismo, levando ao empoderamento de grupos de ativistas ao ampliar o alcance das reivindicações assumidas como direitos coletivos

A Frente de Luta pelo Transporte e as manifestações de rua em Goiânia 2013-2016

::link::
A Frente de Luta pelo Transporte, movimento estudantil criado em Goiânia em 2013, luta contra o aumento da tarifa e reivindica melhorias na qualidade do transporte coletivo urbano. Organização horizontal, tem como principais atributos a autonomia frente a partidos políticos, instituições e sindicatos. No entanto, sofre com a repressão do Estado e da polícia, e com a criminalização do movimento, o que o levou ao refluxo.

O documentário Subpapeis e o subuniverso da condição humana

::link::
ao considerar o documentário como um lugar de representação do outro, esse trabalho pretende analisar como é feita a representação dos catadores de material reciclável de Goiânia no documentário Subpapéis (2008), de Luiz Eduardo Jorge, na tentativa de entender como o excluído é representado nesse filme. Os personagens participantes da história usam o poder da palavra para demarcar espaços e expor suas mazelas e angústias. A condição de vida das pessoas retratadas denota a essência humana usurpada pelas engrenagens do sistema capitalista, sem esperanças de um futuro diferente.


 

 

Copyrights © 2019 Equipe Internet - Todos direitos reservados.Universidade Católica de Goiás - Brasil
Av. Universitária 1.440 - Setor Universitário - Goiânia - GO - CEP 74605-010
anuncio