Site Docente
JOSE LUIZ P D OLIVEIRA
Departamento de Engenharia

 

 


Publicações

PLANO DE ENSINO - CONSTRUÇÃO CIVIL A01 - 2016-1

PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Disciplina: ENG 2332 – CONSTRUÇÃO CIVIL I Professor: JOSE LUIZ PRUDENTE D’OLIVEIRA Turma: A01 2. EMENTA As fases de obra bruta da construção de um edifício. Os projetos de instalações prediais e sua interferência com a estrutura. O gerenciamento de projetos. Introdução aos conceitos de PIS – Procedimento de Inspeção de Serviço e CQE – Controle de Qualidade de Execução. O canteiro de obras. Sondagem, locação, fundações e contenções. Fôrmas, armaduras, lançamento e cura do concreto. Controle estatístico para aceitação da estrutura. Alvenaria e outros de sistemas de vedação. Alvenaria estrutural. Revestimentos argamassados. Coberturas. Trincas em edifícios. 3. OBJETIVOS 3.1. Gerais  Transmitir os conhecimentos fundamentais sobre as etapas de obra bruta da construção de um edifício em estrutura de concreto e em alvenaria estrutural.  Introduzir os conceitos de controle de qualidade das várias fases que compõem a construção de um edifício.  Possibilitar aos estudantes a observação do modus operandi da construção de um edifício por meio de slides e vídeos sobre práticas de construção, atividades em laboratório e visitas à obras. 3.2. Específicos  Proporcionar aos alunos condições de aprendizagem da prátices no exercício de atividades em Obras e Serviços de Edificações através de trabalhos escolares de pesquisas de campo em estudo de casos reais e profissionais.  Dar condições aos alunos para que desenvolvam conhecimentos e aprendizagens atualizados frente às necessidades profissionais do Mercado de Trabalho em Edificações.  Incentivar os alunos à adquirirem informações sobre equipamentos executores de Obras e Serviços de Edificações: Operações, Manutenção, Lubrificações, Utilizações, Custos e Benefícios.  Colaborar para que os alunos tomem conhecimentos das Normas da ABNT e da AGETOP aplicados à execução de Obras e Serviços de Edificações em Goiás. 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 01. As fases de obra bruta da construção de um edifício. 02. Os projetos de instalações prediais e sua interferência com a estrutura. O gerenciamento de projetos. 03. Introdução aos conceitos de PIS – Procedimento de Inspeção de Serviço e CQE – Controle de Qualidade de Execução. 04. O canteiro de obras. Sondagem, locação e fundações. Contenções. 4.1. Instalação do canteiro de obras. 4.2. Sondagem tipo SPT. 4.3. Fundações. 4.4. Contenções. 5. Formas, armaduras, lançamento e cura do concreto. 5.1 Formas de madeira, sistemas mistos em metal e madeira para formas e escoramento. 5.2. Armadura para estruturas de concreto. 5.3. Planejamento da concretagem. 5.4. Lançamento e cura do concreto. 6. Controle estatístico para aceitação da estrutura. 6.1. Divisão da estrutura em lotes. 6.2. Cálculo do fck estimado. 6.3. Aceitação ou rejeição dos lotes. 7. Alvenaria e outros de sistemas de vedação. 7.1. Alvenaria de vedação em blocos cerâmicos. 7.2. Alvenaria de vedação em blocos de concreto. 7.3. Vedação em blocos de concreto celular, solo-cimento ou sílico-calcário. 7.4. Placas de gesso acartonado e placas de fibro-cimento. 8. Alvenaria estrutural. 8.1. A tecnologia da alvenaria estrutural. 8.2. Vantagens e desvantagens em relação à estrutura em concreto armado. 8.3. Alvenaria estrutura em tijolos cerâmicos maciços; 8.4 Alvenaria estrutura em blocos cerâmicos, concretos ou sílico calcário. 9. Revestimentos argamassados. 9.1. Taliscamento. 9.2. Chapisco. 9.3. Emboco e reboco. 9.4. Massa única. 9.5. Gesso corrido. 10. Coberturas. 10.1. Tipos de telhas 10.2. Coberturas com estrutura em madeira. 10.3. Coberturas com estruturas em perfis de chapa de aço dobradas. 10.4. Coberturas com estrutura em perfis de chapas finas com emendas por rebite. 10.5. Cobertura com estrutura espacial. 11. Trincas em edifícios 5. ATIVIDADES EXTERNAS DA DISCIPLINA (AED) Ensaios de Agregados Ensaios de Rompimentos de Corpos de Prova de Concretos 6. CRONOGRAMA 16/02 – Projetos 19/02 – Legalidades 23/02 – Terrenos, Instalações iniciais, Ligações iniciais 26/02 – Fundações 01/03 – Embasamento, baldrames 04/03 – Nivelamento de solos, cortes e compactações 08/03 – Lastros e contra pisos 11/03 – Estrutura / Carpintaria 15/03 – Alvenarias e Cerâmica e Blocos de cimento 18/03 – Cintas, Lajes 22/03 – Tubulações Elétricas e Hidráulicas 29/03 – Oitão, Estrutura telhado, telhado 01/04 – Chapiscos, Fundos para Cerâmicas 05/04 – Emboco, Reboco, Requadros 08/04 – Esquadrias 12/04 – Aparelhos sanitários 15/04 – Avaliação N-1, Prova e Trabalho 19/04 – Transportes verticais: guinchos 26/04 – Transportes verticais: munks 29/04 – Transportes verticais – cremalheiras 03/05 – Balancins 06/05 – Escoramentos metálicos 10/05 – Normas de segurança 13/05 – Previsões orçamentárias 17/05 – Avaliação N-2 20/05 – Execução de Concretagens em Edifícios Mpa 31/05 – Controles de Concretagens cura, pega, slamps 03/06 – Placa de gesso acartonado 07/06 – Alvenaria estrutural 10/06 – Alvenaria estrutural 14/06 – Coberturas: telhas: cerâmica, cimento, amianto etc. 17/06 – Patologias construtivas 21/06 – Avaliação N-2, Prova e Trabalho 24/06 – Revisão, Notas e Substitutiva 28/06 – Entrega final de notas e frequência. 7. MATERIAL DE APOIO Indicação de sites, periódicos, livros complementares, filmes, vídeos e outros. - Sítios, Periódicos, Livros Complementares, Vídeos, etc. - Manuais de Construções - Cadernos de encargos de obras verticais - Sítio da AGETOP. - Feiras da construção e equipamentos. - Internet: Youtube – Mãos-a-Obra, 100% Seguro.   8. METODOLOGIA  Aulas expositivas usando escritas complementares em quadros e uso corrente de Data Show e Vídeos.  Acompanhamento dos alunos em trabalhos-pesquisas de campo: Estudo de Casos de atividades profissionais de obras e serviços de terraplenagens e pavimentações nas proximidades de Goiânia.  Avaliações compatíveis com as matérias dadas em sala de aula e os Estudos de Caso nas pesquisas de campo. 9. AVALIAÇÃO N-1: Prova e Trabalho: etapas construtivas de obras residenciais – Terminologias. Youtube: Mãos a Obra. Média N-1: Média simples das duas notas: Prova e Trabalho N-2: Trabalho: Execução de cada etapa construtiva de obras residenciais 1º) Prova: equipamentos em obras verticais, normas de segurança, previsões orçamentárias. Youtube: 100% Seguro. 2º) Prova: Concretagens, placas de gesso, alvenaria estrutural, coberturas, patologias construtivas. Média N-2: Média simples, provas e trabalho Média Final: (0,4 x N-1) + 0,6 (0,9 N-2 + AI) 10. BIBLIOGRAFIA BÁSICA BORGES, A. C.; MONTEFUSCO, E.; LEITE, J. L. Prática das pequenas construções. Vol. 1, 8ª Edição. São Paulo: Ed. Edgard Blucher, 2004, 336 p. AZEREDO, H. O edifício até sua cobertura. São Paulo: Ed. Edgard Blucher, 2ª Edição, Revista, 2004, 188 p. CADERNOS DE ENCARGOS, Ed. PINI, TECNICAS DE EDIFICAR. Ed. PINI. 11. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR SOUZA, R. & MEKBEKIAN, G. Qualidade na aquisição de materiais e execução de obras. São Paulo: Ed. Pini, 1996, 275 p. YÁZIGI, W. A técnica de edificar. São Paulo: Ed. Pini. 4ª edição revista e atualizada, 2002, 669 p. PRUDÊNCIO, L. R.; OLIVEIRA, A. L.; BEDIN, C. A. Alvenaria estrutural de blocos de concreto. Florianópolis: ABCP, 2002, 208 p. TIGRE S.A. Manual técnico de instalações hidráulicas e sanitárias. São Paulo: Editora Pini. 2ª ed. 1987, 96 p. PIRELLI S.A. Manual Pirelli de Instalações elétricas. São Paulo: Editora Pini. 2. ed., 1999, 78 p. THOMAZ, E. Trincas em edifícios: causas, prevenção e recuperação. São Paulo, 1989, 194 p. REVISTA: Construção e Mercado – Ed. Pini. Cadernos de Encargos de Incorporadoras.

PLANO DE ENSINO TERRAPLENAGEM E PAVIMENTAÇÃO A02-2016-1

PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Disciplina: ENG1630 - TERRAPLANAGEM E PAVIMENTAÇÃO Professor: JOSE LUIZ PRUDENTE D’OLIVEIRA M.sc. Turma: A02 Carga Horária: 120 horas Créditos: 6 2. EMENTA Pavimentação: definição, classificação, materiais componentes, dimensionamento de pavimentos flexíveis e rígidos, construção e conservação, sinalização, pavimentos econômicos. Definição de equipamentos para execução. 3. OBJETIVOS 3.1. Gerais  Proporcionar ao aluno condições de Aprendizagem Qualificada para o Exercício Profissional nas funções de Planejadores, Gestores e Responsáveis Técnicos de Obras e Serviços de Terraplenagens e Pavimentações em território brasileiro, conforme atribuições legais asseguradas aos engenheiros civis. 3.2. Específicos  Proporcionar aos alunos condições de aprendizagem da práxis no exercício de atividades em Obras e Serviços de Terraplenagens e Pavimentações através de trabalhos escolares de pesquisas de campo estudo de casos reais e profissionais.  Dar condições aos alunos para que desenvolvam conhecimentos e aprendizagens atualizados frente às necessidades profissionais do Mercado de Trabalho em Terraplenagens e Pavimentos.  Incentivar os alunos à adquirirem informações sobre equipamentos executores de Obras e Serviços de terraplenagem e pavimentações: Operações, Manutenção, Lubrificações, Utilizações, Custos e Benefícios.  Colaborar para que os alunos tomem conhecimentos das Normas da ABNT, do DNIT e da AGETOP aplicados à execução de Obras e Serviços de Terraplenagens e Pavimentações em Goiás. 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 16/02 – Pavimentos, Terminologias, Terraplenagens e Pavimentações 19/02 – Compactação, Empolamento, Solos, Agregados, Classificação de solos. 23/02 – Asfaltos, CAP, Pavimentações, Equipamentos. 26/02 – Regularização, Reforço do Sub-leito, Sub-base e Base 01/03 – Base em Macadames, BGTC, BGTB, BGS. 04/03 – Revestimentos: TSS, TSD, TST, TSQ, CBUQ, MRAF, Patologias. 08/03 – 1ª Avaliação N-1 11/03 – Equipamentos: unidades de serviços. 15/03 – Equipamentos: locomoção/aderência. 18/03 – Equipamentos: produção horária. 22/03 – Produção horárias dos equipamentos 29/03 – Equipamentos: Custo horário. 01/04 – Equipamentos, Custo horário. 05/04 – Equipamentos: operações e lubrificações 08/04 – Equipamentos Custo Horário 12/04 – 2ª Avaliação N-1 15/04 – Etapas Construtivas de Pavimentações Asfálticas 19/04 – Workshop - AGETOP 26/04 – Drenagens subterrâneas 29/04 – Drenagens subterrâneas 03/05 – 1ª Avaliação N-2 06/05 – Dimensionamento de pavimentos 10/05 – Normas rodoviária – DNIT – IPR/AGETOP 13/05 – Normas rodoviária – DNIT – IPR/AGETOP 17/05 – Normas 20/05 – Normas 31/05 – Normas 03/06 – Normas – Sinalizações verticais e horizontais – DNIT – IPR/AGETOP 07/06 – Dosagem Marshall 10/06 – Avaliação N-2 14/06 – Notas 17/06 – Substitutivas 21/06 – Entrega final das Notas 24/06 – Revisões 28/06 – Final 5. ATIVIDADES EXTERNAS DA DISCIPLINA (AED) Ensaios Asfálticos 6. CRONOGRAMA   7. METODOLOGIA  Aulas expositivas usando escritas complementares em quadros e uso corrente de Data Show e Vídeos.  Acompanhamento dos alunos em trabalhos-pesquisas de campo: Estudo de Casos de atividades profissionais de obras e serviços de terraplenagens e pavimentações nas proximidades de Goiânia.  Avaliações compatíveis com as matérias dadas em sala de aula e os Estudos de Caso nas pesquisas de campo. 8. AVALIAÇÃO Primeiras N1: Pavimentações Asfálticas (Instituto PAVIMENTAR), Equipamentos, Terminologias. Segunda N1: Equipamentos, Produção Horária, Custo Horário, Operações; Lubrificações, Manutenções. 1º Trabalho N1 – Equipamentos de Terraplenagens e Pavimentações. Entrega do Trabalho: 4ª aula de Março. Segundo Trabalho N1 – Etapas Construtivas de Obras Rodoviárias Entrega: 18 de Abril. Média N1: Média Simples das Quatro Notas: Provas e Trabalhos Primeira N2: Etapas Construtivas, Workshop – AGETOP; Segunda N2: Dimensionamentos de Pavimentos, CBUQ, MRAF, Normas, Dosagem Marshall, Sinalizações. Primeiro Trabalho N2: Normas Técnicas aplicadas a obras rodoviárias em Goiás. Data de entrega: 02 de Maio Segundo Trabalho N2: Dosagem Marshall: Ensaios e controles tecnológicos Data de entrega: 09 de Junho Média N2: Média Simples das Quatro Notas: Provas e Trabalhos Média Final: 0,4 x N1 + 0,6 (0,9 x N2 + AI) 9. BIBLIOGRAFIA BÁSICA 1 SENÇO, W. Manual de técnicas de pavimentação. 2. ed. São Paulo: PINI, 2008. v. 1. 2 NOGAMI, J. S.; VILLIBOR, D. F. Pavimentos econômicos: tecnologia do uso dos solos finos lateríticos. São Paulo: Viiibor, 1995 3 BRANCO, F.; PEREIRA, P; PICADO, L. Pavimentos Rodoviários. 1 ed. São Paulo: Almedina, 2006. 10. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR 1 BALBO, J. T. Pavimentação asfáltica: materiais, projeto e restauração. São Paulo: Oficina de Textos, 2007. 2 ______. Pavimentos asfálticos: patologias e manutenção. São Paulo: Plêiade, 1997. 3 SILVA, P. F. A. Manual de Patologia e Manutenção de Pavimentos. 2. ed. São Paulo: PINI, 2008. 4 SANTANA, H. Manual de pré-misturados a frio. São Paulo: IBP, 1993. 5 SANTOS, A.R. et al. Estradas vicinais: manual técnico para conservação e recuperação. 2. ed. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas, 1998. 6 Normas DNIT/IPR – Terraplenagem, Pavimentações, Bueiros. 7 Normas AGETOP – Terraplenagem e Pavimentações. 8 Normas ABNT – Terraplenagem e Pavimentações. 9 Normas de Pavimento Rígido da Associação Brasileira de Cimento Portland. 10 Manual de Pavimentação – Instituto Pavimentar. 11 Manual de Micro Revestimento Asfáltico Á Frio – Instituto Pavimentar. 12 Manual de Concreto Asfáltico – Dosagem Marshall – Instituto Pavimentar. 13 Internet: google, youtube, etc. 11. MATERIAL DE APOIO Indicação de sites, periódicos, livros complementares, filmes, vídeos e outros. 1) Manual Prático de Escavações. Editora PINI 2) Manual Prático de Terraplenagens. ABRAAN, Isaac. Editora PINI 3) Manual de Pavimentações. SENÇO, Wlastemir. Editora PINI 4) Revista: Manutenção e Tecnologia 5) SITIOS: SOBRATEMA; INSTITUTO PAVIMENTAR; AGETOP; DNIT; DER-SP; IME; ODEBRECHT, VÍDEOS: YOUTUBE. GOOGLE; WORKSHOP DA AGETOP FEIRAS DE EQUIPAMENTOS DE TERRAPLENAGENS E PAVIMENTAÇÕES

PLANO DE ENSINO TERRAMPLENAGEM E PAVIMENTAÇÃO A01 2016-1

PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Disciplina: ENG1630 - TERRAPLANAGEM E PAVIMENTAÇÃO Professor: JOSE LUIZ PRUDENTE D’OLIVEIRA M.sc. Turma: A01 Carga Horária: 120 horas Créditos: 6 2. EMENTA Pavimentação: definição, classificação, materiais componentes, dimensionamento de pavimentos flexíveis e rígidos, construção e conservação, sinalização, pavimentos econômicos. Definição de equipamentos para execução. 3. OBJETIVOS 3.1. Gerais  Proporcionar ao aluno condições de Aprendizagem Qualificada para o Exercício Profissional nas funções de Planejadores, Gestores e Responsáveis Técnicos de Obras e Serviços de Terraplenagens e Pavimentações em território brasileiro, conforme atribuições legais asseguradas aos engenheiros civis. 3.2. Específicos  Proporcionar aos alunos condições de aprendizagem da práxis no exercício de atividades em Obras e Serviços de Terraplenagens e Pavimentações através de trabalhos escolares de pesquisas de campo estudo de casos reais e profissionais.  Dar condições aos alunos para que desenvolvam conhecimentos e aprendizagens atualizados frente às necessidades profissionais do Mercado de Trabalho em Terraplenagens e Pavimentos.  Incentivar os alunos à adquirirem informações sobre equipamentos executores de Obras e Serviços de terraplenagem e pavimentações: Operações, Manutenção, Lubrificações, Utilizações, Custos e Benefícios.  Colaborar para que os alunos tomem conhecimentos das Normas da ABNT, do DNIT e da AGETOP aplicados à execução de Obras e Serviços de Terraplenagens e Pavimentações em Goiás. 4. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 15/02 – Pavimentos, Terminologias, Terraplenagens e Pavimentações 18/02 – Compactação, Empolamento, Solos, Agregados, Classificação de solos. 22/02 – Asfaltos, CAP, Pavimentações, Equipamentos. 25/02 – Regularização, Reforço do Sub-leito, Sub-base e Base 29/02 – Base em Macadames, BGTC, BGTB, BGS. 03/03 – Revestimentos: TSS, TSD, TST, TSQ, CBUQ, MRAF, Patologias. 07/03 – 1ª Avaliação N-1 10/03 – Equipamentos: unidades de serviços. 14/03 – Equipamentos: locomoção/aderência. 19/03 – Equipamentos: produção horária. 21/03 – Produção horárias dos equipamentos 28/03 – Equipamentos: Custo horário. 31/03 – Equipamentos, Custo horário. 04/04 – Equipamentos: operações e lubrificações 07/04 – Equipamentos Custo Horário 11/04 – 2ª Avaliação N-1 14/04 – Etapas Construtivas de Pavimentações Asfálticas 18/04 – Workshop - AGETOP 25/04 – Drenagens subterrâneas 28/04 – Drenagens subterrâneas 02/05 – 1ª Avaliação N-2 05/05 – Dimensionamento de pavimentos 09/05 – Normas rodoviária – DNIT – IPR/AGETOP 12/05 – A I – Avaliação Interdisciplinar 16/05 – Normas 19/05 – Normas 30/05 – Normas 02/06 – Normas – Sinalizações verticais e horizontais – DNIT – IPR/AGETOP 06/06 – Dosagem Marshall 09/06 – Avaliação N-2 13/06 – Notas 16/06 – Substitutivas 20/06 – Entrega final das Notas 23/06 – Revisões 27/06 – Revisões 30/06 – Final 5. ATIVIDADES EXTERNAS DA DISCIPLINA (AED) Ensaios Asfálticos 6. CRONOGRAMA 7. METODOLOGIA  Aulas expositivas usando escritas complementares em quadros e uso corrente de Data Show e Vídeos.  Acompanhamento dos alunos em trabalhos-pesquisas de campo: Estudo de Casos de atividades profissionais de obras e serviços de terraplenagens e pavimentações nas proximidades de Goiânia.  Avaliações compatíveis com as matérias dadas em sala de aula e os Estudos de Caso nas pesquisas de campo. 8. AVALIAÇÃO Primeiras N1: Pavimentações Asfálticas (Instituto PAVIMENTAR), Equipamentos, Terminologias. Segunda N1: Equipamentos, Produção Horária, Custo Horário, Operações; Lubrificações, Manutenções. 1º Trabalho N1 – Equipamentos de Terraplenagens e Pavimentações. Entrega do Trabalho: 4ª aula de Março. Segundo Trabalho N1 – Etapas Construtivas de Obras Rodoviárias Entrega: 18 de Abril. Média N1: Média Simples das Quatro Notas: Provas e Trabalhos Primeira N2: Etapas Construtivas, Workshop – AGETOP; Segunda N2: Dimensionamentos de Pavimentos, CBUQ, MRAF, Normas, Dosagem Marshall, Sinalizações. Primeiro Trabalho N2: Normas Técnicas aplicadas a obras rodoviárias em Goiás. Data de entrega: 02 de Maio Segundo Trabalho N2: Dosagem Marshall: Ensaios e controles tecnológicos Data de entrega: 09 de Junho Média N2: Média Simples das Quatro Notas: Provas e Trabalhos Média Final: 0,4 x N1 + 0,6 (0,9 x N2 + AI) 9. BIBLIOGRAFIA BÁSICA 1 SENÇO, W. Manual de técnicas de pavimentação. 2. ed. São Paulo: PINI, 2008. v. 1. 2 NOGAMI, J. S.; VILLIBOR, D. F. Pavimentos econômicos: tecnologia do uso dos solos finos lateríticos. São Paulo: Viiibor, 1995 3 BRANCO, F.; PEREIRA, P; PICADO, L. Pavimentos Rodoviários. 1 ed. São Paulo: Almedina, 2006. 10. BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR 1 BALBO, J. T. Pavimentação asfáltica: materiais, projeto e restauração. São Paulo: Oficina de Textos, 2007. 2 ______. Pavimentos asfálticos: patologias e manutenção. São Paulo: Plêiade, 1997. 3 SILVA, P. F. A. Manual de Patologia e Manutenção de Pavimentos. 2. ed. São Paulo: PINI, 2008. 4 SANTANA, H. Manual de pré-misturados a frio. São Paulo: IBP, 1993. 5 SANTOS, A.R. et al. Estradas vicinais: manual técnico para conservação e recuperação. 2. ed. São Paulo: Instituto de Pesquisas Tecnológicas, 1998. 6 Normas DNIT/IPR – Terraplenagem, Pavimentações, Bueiros. 7 Normas AGETOP – Terraplenagem e Pavimentações. 8 Normas ABNT – Terraplenagem e Pavimentações. 9 Normas de Pavimento Rígido da Associação Brasileira de Cimento Portland. 10 Manual de Pavimentação – Instituto Pavimentar. 11 Manual de Micro Revestimento Asfáltico Á Frio – Instituto Pavimentar. 12 Manual de Concreto Asfáltico – Dosagem Marshall – Instituto Pavimentar. 13 Internet: google, youtube, etc. 11. MATERIAL DE APOIO Indicação de sites, periódicos, livros complementares, filmes, vídeos e outros. 1) Manual Prático de Escavações. Editora PINI 2) Manual Prático de Terraplenagens. ABRAAN, Isaac. Editora PINI 3) Manual de Pavimentações. SENÇO, Wlastemir. Editora PINI 4) Revista: Manutenção e Tecnologia 5) SITIOS: SOBRATEMA; INSTITUTO PAVIMENTAR; AGETOP; DNIT; DER-SP; IME; ODEBRECHT, VÍDEOS: YOUTUBE. GOOGLE; WORKSHOP DA AGETOP FEIRAS DE EQUIPAMENTOS DE TERRAPLENAGENS E PAVIMENTAÇÕES

terraplanagem




 

 

Copyrights © 2019 Equipe Internet - Todos direitos reservados.Universidade Católica de Goiás - Brasil
Av. Universitária 1.440 - Setor Universitário - Goiânia - GO - CEP 74605-010
anuncio